Tuesday, August 19, 2008

Olhos de lótus

Desde o dia em que a Teus olhos contemplei
Quando partiste sem dizer adeus
Após as reverências que prestei
Procuro ansioso pelos olhos Teus.

Por vezes, penso vê-los lá no céu
Entre estrelas formosas e radiantes
Resplandecendo no celeste véu
Como se fossem astros viandantes.

Pensam os iludidos olhos meus
Voltados para o zênite sem fim
Que entre estrelas estão os olhos Teus...

Mas, percebendo o engano, dizem elas:
‘Acaso não sabeis que um brilho assim
Não temos nem sequer entre as mais belas?'




Métrica: decassílabos heróicos

Demian Martins©2008, Direitos autorais registrados na Biblioteca National, RJ

1 comment: